Existe Logística Inversa no setor da Saúde?

De acordo com a terceira edição do Estudo dos Níveis de Serviço dos processos logísticos na área da Saúde (ver metodologia), realizado anualmente pela GS1 Portugal, a Logística Inversa surge como uma das principais preocupações do setor. O crescimento da consciência ambiental é uma forte influência e a colaboração entre parceiros de negócio são fatores essenciais para o sucesso desta prática.

Afinal, o que é a Logística Inversa?

A Logística Inversa é a área da logística se dedica ao fluxo inverso de produtos, embalagens ou outros materiais, do ponto de consumo ao local de origem. Este tipo de processo já existe em vários setores de atividade, mas não eram associados a este conceito. Por exemplo, o retorno das garrafas (vasilhame) ou a recolha de resíduos recicláveis.

 E na Saúde?

Neste setor a gestão logística pode ser de ordem hospitalar ou farmacêutica e gere o fluxo de dispositivos médicos, medicamentos, outros produtos de saúde e dados do paciente. No caso da Logística Inversa, passa por reaproveitar, reciclar e reutilizar, no intuito de tornar as empresas envolvidas em agentes de mudança de atitude para a sociedade como um todo.

Um dos participantes do estudo, que inclui questionários e entrevistas a laboratórios, farmácias/parafarmácias e armazenistas, representante da insígnia Saúde e Bem-Estar do Jumbo, afirma que “Quando devolvemos o produto não sabemos o que eles fazem com ele. Nós nunca mandamos o produto para quebra, devolvemos sempre. Por isso, a logística inversa existe sempre e não é questão. O que não pode ser devolvido, por exemplo, caso a data de validade expire em 2 meses, é doado. É política da empresa. Achamos que também é urgente rever a quantidade de plástico e cartão que vem com os produtos, o setor precisa de dar passos neste tema de sustentabilidade/redução de desperdício.”

Uma perspetiva que ainda não é totalmente partilhada por todos uma vez que, na visão de alguns participantes, os custos e escoamento do material são ainda questões prioritárias.