Códigos de barras para saúde

A gestão logística nas mais variadas cadeias de valor otimiza a circulação de produtos e materiais e assegura a ligação entre o fluxo físico e o fluxo de informação.

Na indústria do setor da Saúde não é diferente. A gestão logística, hospitalar ou farmacêutica, gere o fluxo de dispositivos médicos, medicamentos, outros produtos de saúde, de dados do paciente, e controla o fluxo de informação relacionado com esses mesmos fluxos físicos, assegurando a qualidade e segurança desde o produtor até ao paciente.

Os diferentes intervenientes na cadeia de valor da saúde estão envolvidos em todos ou alguns dos seguintes processos de logística:

  • Indústria
  • Logística – Armazenistas, Operadores Logísticos
  • Unidades de Cuidados de Saúde, Retalho (Farmácias)

Quais são as simbologias utilizadas?

Tal como numa cadeia de valor de Retalho e Bens de Consumo, a cadeia de valor da Saúde, para além de muito mais complexa, enfrenta desafios bastante significativos. Tem os seus próprios processos e, cada um destes, pode ser realizado por diferentes organizações ou apenas por uma única entidade.

Desde o produtor até ao paciente, a identificação, captura e partilha é feita através de diversos identificadores-chave, que permitem a visibilidade ao longo de toda a cadeia de valor.

Vejamos abaixo:

saude cadeia

(clique sobre a imagem para aumentar)

Uma vez que estamos perante uma indústria com elevados padrões de exigência ao nível da rastreabilidade, os códigos de barras aconselhados devem conter mais informação para além da identificação do produto, como por exemplo a data de validade.

Assim, as simbologias que permitem transportar toda esta informação,  são o GS1 Datamatrix e o GS1 128 uma vez que permitem a utilização de IA’s (identificadores de aplicação).

saude

 

 

GS1 128 vs GS1 Datamatrix

Os  resultados da implementação destes identificadores incluem: (i) melhorias na gestão de stocks, evitando stocks obsoletos e reduzindo custos, (ii) o recall atempado e preciso de produtos não conformes, (iii) auxiliar a alocação de custos automaticamente; ou (iv) facilitar os reports aos reguladores; permite sempre, e principalmente, garantir os cinco direitos do paciente: (i) o medicamento certo,
(ii) na dose adequada, (iii) pela via
 correta, (iv) à hora certa e (v) ao paciente correto.

Benefícios da rastreabilidade na saúde?

A utilização de Standards GS1, ao longo da Cadeia de Valor da Saúde, permite aos vários agentes do setor assegurar a rastreabilidade e contribuir para atingir benefícios como:

  • Segurança do Paciente
  • Rastreabilidade
  • Eficiência & Produtividade
 

Caso Hospital de Cascais

Como evitar erros e insegurança no circuito do medicamento? O Hospital de Cascais mostra como o uso de um código GS1 funciona para garantir a rastreabilidade e segurança do paciente, desde a prescrição até ao momento da administração do medicamento.

Saiba mais aqui.

Diretiva dos Medicamentos Falsificados

Medicamentos falsificados? O que precisa de saber para cumprir a nova diretiva.

Saiba aqui.

Regras de Alocação de GTIN’s na Saúde

Saiba como codificar de forma única um produto na área da Saúde.

Clique aqui.

(documento em inglês)


Sabia que?

Nos EUA, anualmente, 7 mil pacientes morrem e 1.3 milhões ficam com problemas de saúde devido a erros de medicação que poderiam ser prevenidos. (Fonte: The Prescription, Vol. 1, No. 1, July 2005, Medication Error Statistics)

E sabia que?

Só na Europa, a resposta a três requisitos para códigos de barras (específicos de cada país) pode custar a um produtor farmacêutico 38 milhões de euros por ano. (Fonte: EFPIA)