Assimetria regionais mantêm-se

Na edição de 2019 do índice sales index1, podemos confirmar que as assimetrias regionais do Continente se mantêm. Com efeito, em apenas 5 concelhos estão concentrados 21.65% do total do poder de compra do Continente.

Fonte: Marktest

Os dados disponíveis no sistema de Geomarketing Sales Index, da Marktest, mostram como Portugal se mantém um país com grandes assimetrias regionais. Metade do poder de compra do continente está em 6% da sua área.

No topo deste índice, que totaliza 1000 no conjunto dos 278 concelhos do Continente, está o concelho de Lisboa, responsável por 9.6% do poder de compra total. É seguido pelos concelhos de Porto, Sintra, Vila Nova de Gaia e Cascais.

Se a estes cinco concelhos juntarmos Oeiras e Loures, obtemos mais de um quarto (25.88%) do poder de compra do Continente, concentrado assim num espaço que ocupa uma área inferior a 1% do território.

Para alcançar 50% do poder de compra do Continente, basta alargar a análise a mais 19 concelhos, como se pode observar no mapa seguinte:

Estes 26 concelhos representam apenas 6% da área total do Continente mas concentram 45% da sua população residente, 26% do parque habitacional, 44% das dependências bancárias, 50% da atividade do Multibanco, 45% dos estabelecimentos comerciais, 56% dos registos de automóveis, 44% do consumo de eletricidade ou 69% dos médicos inscritos na Ordem. Nestes concelhos localizam-se 47% das empresas nacionais, 55% dos trabalhadores ao serviço nessas empresas e 23% dos alojamentos turísticos (incluindo alojamentos locais). 

*O indicador sales index foi criado pela primeira vez em 1992, permitindo desde então acompanhar anualmente o comportamento dos concelhos de Portugal Continental relativamente aos indicadores de poder de compra regional.

O índice de poder de compra regional (ou sales index) é um índice expresso em permilagem que permite comparar os concelhos entre si e analisar a contribuição de cada um para um total de 1000, que corresponde à soma dos 278 concelhos do Continente.

É calculado com base em informação indicadora do potencial de rendimento e consumo de cada concelho, nomeadamente a população residente, as receitas fiscais, as vendas de automóveis, os consumos de eletricidade, as dependências bancárias e os estabelecimentos comerciais.